The Amazing Eternals – O jogo de tiro competitivo que não saiu do beta

Olá pessoal! Tudo bem? Hoje vou falar sobre um jogo chamado The Amazing Eternals que acabei conhecendo perto do seu fim. Quem me acompanha nas redes sociais sabe que gosto muito de jogos de tiro competitivos como Paladins e Overwatch. Tanto que Paladins é um dos jogos que tenho mais horas acumuladas atualmente no Steam (acho que já é o mais jogado, na verdade). Eu, que sempre fui uma pessoa do tipo que só gosta de jogos offline, acabei sendo cativada por esse estilo e sempre me interesso quando surge um novo jogo assim.

No dia 22 de outubro desse ano conheci um jogo de tiro competitivo nos mesmos moldes dos já citados Paladins e Overwatch, desenvolvido pelos criadores do já consolidado Warframe. Esse jogo se chamava The Amazing Eternals – antes era Keystone – e tinha uma proposta diferente: um jogo de tiro competitivo baseado nos filmes de ficção científica dos anos 70.

Isso mesmo! Os personagens, chamados de Eternals, tinham estilos bastante variados tanto visualmente quanto nas habilidades. Você podia jogar com o astronauta Ray, a Estrela do Mar Nautica e até mesmo um ser sombrio com cabeça de caveira no maior estilo motoqueiro fantasma chamado Dread.

E o visual dos anos 70 não se resumia apenas aos personagens, claro. Ele já começava no menu inicial que simulava um tabuleiro de xadrez. Você escolhia uma peça para te representar e ia ganhando prêmios e desbloqueando coisas à medida em que ia avançando. Claro que não tinha quase nada, já que o jogo ainda estava em fase inicial do closed beta.

Mas quando me cadastrei no site para participar do closed beta, achei estranho o tempo que levou para que o convite fosse enviado. Em questão de horas eu já havia recebido a minha chave para o closed beta, o que significava que não havia muita gente se cadastrando.

E isso se confirmou quando fui jogar. Além de mim e do Vilão, havia apenas mais uma pessoa online no servidor da América do Sul. Bom, o problema poderia ser o fato do jogo não ter sido muito divulgado por aqui, apesar de ter visto que até o Zangado já tinha feito vídeo dele. Então decidimos partir para o servidor norte americano.

Nele já havia mais algumas pessoas online, porém não o suficiente para preencher os dois times. As partidas continuavam dominadas pelos bots. E logo decidimos que enfrentar os bots no servidor sul americano seria melhor, pois caímos contra pessoas muito mais experientes e ficava difícil sobreviver, rsrs…

Jogamos por mais umas boas horas, pois The Amazing Eternals era realmente muito divertido. Gostei muito do estilo do jogo de forma geral, e parecia não haver tantos problemas no balanço entre os personagens. O único que achei um pouco exagerado foi o tanque Bristle, mas como só joguei com ele contra bots, não posso afirmar com total certeza. E como sabemos, tanque é uma classe de personagem que realmente é bem complicada de balancear.

Mas a minha personagem favorita foi a Nautica, uma suporte que podia curar e atacar ao mesmo tempo e em determinados momentos navegava em cima de uma raia manta no maior estilo Aquaman! E não só os seus golpes me agradaram, mas adorei também o seu visual que realmente lembrava uma personagem de ficção científica antiga.

O Gameplay

Quando jogamos havia apenas um modo de jogo disponível, o de dominação. Esse é um modo bem básico em jogos desse tipo, nele os jogadores deveriam tomar alguns pontos e vencia o time que dominasse mais.

Os cenários eram bonitos e bem construídos, com opções de caminho para surpreender o time inimigo.

Os personagens eram divididos em quatro classes: Tanque, assalto, controle e suporte. E as suas habilidades eram baseadas nas suas funções. Ao morrer nas partidas, o jogador tinha a opção de trocar de personagem, o que era muito bom para aquelas partidas que a gente percebe na metade o que está faltando (acontece XD).

No decorrer da partida, cartas surgiam no canto da tela com habilidades diversas, incluindo trocas de armas, aumento de HP e munição. E a customização dos Eternals se baseava na criação de decks com essas cartas de habilidades.

Assim como todo jogo, principalmente em estágio inicial de desenvolvimento, ele tinha os seus defeitos. Um deles era o fato de ser muito pesado e FPS cair facilmente, e o outro era o ping que muitas vezes não contribuía também.

O fim de The Amazing Eternals

Mesmo com os seus problemas, esse era um jogo bastante divertido. Mas ele acabou devido ao seu maior problema, que era a falta de jogadores. No dia 26 de outubro a Digital Extremes anunciou uma “pausa” no desenvolvimento de Amazing Eternals devido a problemas para melhorar o matchmaking. Apenas três meses após o início do Closed Beta, The Amazing Eternals estava sendo fechado. O que deixou muitos jogadores (incluindo eu) bastante chateados.

Se o seu desenvolvimento vai ser retomado algum dia? Provavelmente não. Mas esse era um jogo que tinha potencial para entrar na guerra dos shooters competitivos, mesmo a onda agora sendo os battle royales. Eu tinha a intenção de fazer um vídeo sobre ele para o canal, mas o anúncio do seu fechamento veio antes, então resolvi apenas fazer este registro da minha experiência com ele por aqui.

Você também chegou a jogar The Amazing Eternals? Quem jogou, comente a sua opinião aqui no site ou nas nossas redes sociais. Fale sobre a sua experiência com o jogo, se continuou jogando ou porque decidiu parar. Até o próximo post, pessoal! 😊

, ,

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 736 outros assinantes

Parceiros

GeraLinks - Agregador de links