Flight of the Amazon Queen

Flight of the Amazon Queen

Olá pessoal! Neste post apresento Flight of the Amazon Queen, um jogo de aventura e point & click lançado em 1995 para Amiga e MS-DOS. Ele foi desenvolvido pela Interactive Binary Illusions e publicado pela Renegade Software.

Se preferir, assista este review em em vídeo abaixo:

Assim como boa parte dos jogos do gênero, Flight of the Amazon Queen tem boas doses de humor, com várias piadas e situações inusitadas. Em alguns momentos fica bem clara a sátira aos seriados dos anos 50, época na qual o jogo se passa.

Flight of the Amazon Queen foi lançado primeiramente na Europa e suas vendas não foram muito satisfatórias, porém, um ano depois a Warner Interactive adquiriu a Renegade Software e relançou o game Estados Unidos, onde ele foi muito bem recebido.

Em 2004 ele foi lançado como freeware com suporte para ScummVM, um programa que permite executar certos adventures antigos em PCs atuais. Quem se interessar, pode baixá-lo em http://www.gog.com/game/flight_of_the_amazon_queen

Durante o jogo é possível perceber que os desenvolvedores colocaram várias referências a filmes, séries e outros jogos, sendo os principais deles The Secret of Monkey Island e Os Caçadores da Arca Perdida, primeiro filme do Indiana Jones. Como eles eram grandes fãs do filme, acharam que seria uma ótima ideia mesclar Indiana Jones e um jogo de aventura.

Em determinado momento do jogo, um dos objetivos é encontrar um artefato que é uma caveira de cristal. Por coincidência ou não, anos depois Indiana Jones estaria em busca de um artefato de mesmo nome em Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal.

Entre as várias inspirações também estão Monty Python, filmes de monstros clássicos dos anos 50, filmes japoneses Kaiju, como por exemplo Godzilla, e filmes como Star Wars, O Sétimo Selo, Uma Aventura na África, The Rocketeer, Amazon Women on the Moon, entre outros.

1385940424-Flight_Of_The_Amazon_Queen-12

Os protagonistas do jogo são:

Joe King, Pilot for Hire – Inspirado em Jake Cutter, da série de TV americana Tales of the Gold Monkey, seu nome soa propositalmente como a palavra “joking”.

Sparky, mecânico e melhor amigo de Joe. Ele também foi inspirado em um personagem de Tales of the Gold Monkey, o melhor amigo de Jake no seriado que se chama Corky. Sparky é apaixonado por histórias em quadrinhos, em especial pelas do herói Commander Rocket, que chegam a ser fundamentais para resolver um puzzle em determinado momento do jogo.

Faye Russel, uma atriz muito famosa baseada na atriz que fez a mocinha de King Kong, Fay Wray.

Dr. Frank Ironstein, o vilão do jogo que inicialmente se chamaria Dr. Einstein e seria um nazista. Durante boa parte do desenvolvimento os nazistas eram os principais inimigos, mas a Renegade aconselhou que isso fosse mudado, então, a organização inimiga foi remodelada para algo como uma agência secreta maligna chamada Floda.

Muitos personagens da cultura pop e pessoas reais também serviram de inspiração para outros personagens do jogo, como um gorila que em determinado momento se encontra com uma roupa baseada na de Mr. Blobby, um personagem de um show de variedades da Inglaterra e Big Hug que tem esse nome como uma homenagem a Hugh Fleming, amigo dos desenvolvedores e artista de quadrinhos que desenhou o famoso pôster Star Wars Rocks e as capas das HQS Star Wars Episódio 1 da Dark Horse.

HISTÓRIA

Esse é um jogo que se passa no Brasil. A ideia da localidade veio do filme Os Meninos do Brasil, que conta a história de um caçador de nazistas que tenta impedir um médico que está fazendo experiências para tentar criar clones de Adolf Hitler.

Em Flight of the Amazon Queen o jogador controla Joe King, que é contratado para levar Faye Russel para uma seção de fotos na América do Sul. Joe embarca em seu avião, que se chama Amazon Queen, junto com Faye e Sparky. Mas no meio do caminho eles sofrem um acidente e acabam caindo no meio da floresta amazônica. Sem muitos recursos para sair dali, Joe começa a explorar o local em busca de ajuda.

Na floresta ele encontra um vilarejo Pygmy onde inicialmente ele só consegue se comunicar com Bob, dono de uma loja de conveniência e sua ajudante, os únicos que falam inglês no local. Lá ele acaba se envolvendo no resgate da rainha da tribo das Amazonas que foi raptada por Dr. Ironstein, que está capturando as mulheres do lugar para fazer experimentos e criar um exército de mulheres dinossauro.

ANÁLISE

fotaq6

A jogabilidade é bem no estilo dos games de point e click clássicos. O jogador controla Joe com o mouse e pode interagir de várias formas com objetos e outros personagens. Algumas ações já são pré-definidas… quando o mouse é colocado sobre um personagem humano, por exemplo, ele já apresenta a opção falar como padrão, mas na parte de baixo da tela tem outras ações disponíveis como por exemplo, olhar, usar, pegar, entregar. Ao clicar em uma dessas ações e em algum objeto, ele vai interagir com esse objeto, caso seja uma ação possível.

Na parte de baixo da tela também fica o inventário de Joe e ele também pode interagir com esses itens do inventário.

O jogo não conta com nenhum sistema de dicas, mas os puzzles não são tão difíceis, quem já está acostumado com o gênero certamente não vai encontrar muitas dificuldades. Ele tem desafios na medida certa.

Nem todos os puzzles se resumem a usar ou combinar itens, em algumas partes a resposta certa em algumas conversas também pode ser essencial.

As diferenças entre a versão de Amiga e PC não muito grandes, os gráficos estão bem de acordo com os adventures mais antigos, bem coloridos e os cenários e telas em geral são muito bem trabalhados, tanto nas animações quanto nos detalhes. O mapa é bem diferente do que estamos acostumados a ver, do ponto mais alto da floresta, Joe pode ver todos os locais e escolher para qual deles seguir.

A trilha sonora é legal e combina bastante com o jogo em si. Dou destaque para a música tema que é muito boa, daquelas que você ouve e logo já se lembra do jogo.

Os efeitos sonoros lembram muito um desenho animado e no DOS ele tem todas as falas dubladas por grandes nomes como William Hootkins, Enn Reitel e Penelope Keith.

CURIOSIDADES

Na versão de DOS há um mini-game separado que não está acessível pelo jogo. Ele é um arquivo independente no CD, como se fosse uma demo. Nessa demo, Joe é um jornalista e vai até a ilha para conseguir uma entrevista com os desenvolvedores do game.

Tecnicamente ela é igual ao jogo, mas sem as falas dubladas e apesar de não fazer parte da história principal, é bem interessante.

Posteriormente surgiu também a ideia de adaptar Flight of the Amazon Queen para Game Boy, mas apesar das vendas terem sido bem sucedidas, a adaptação para Game Boy acabou não sendo produzida e os desenvolvedores foram trabalhar em outros projetos.

CONCLUSÃO

Apesar de não ser tão conhecido como os jogos da Sierra ou da LucasArts, Flight of The Amazon Queen certamente vai agradar os fãs dos jogos de point-e-click clássicos com sua história repleta de humor, puzzles bem produzidos e belos cenários. Se você gosta do gênero, não pode deixar de conhecer.

, ,

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 736 outros assinantes

Parceiros

GeraLinks - Agregador de links