Você sabia que existem algumas histórias baseadas em Street Fighter que foram publicadas originalmente no Brasil? Pois é, e é justamente sobre uma delas que vamos falar hoje. Entre 1998 e 1999 foi publicada pela Editora Trama uma minissérie brasileira de Street Fighter Zero 3 em 4 edições. A história da HQ não se trata da original do game, apesar de ser bastante fiel aos acontecimentos originais de Street Fighter.

As capas da minissérie brasileira de Street Fighter Zero 3

As capas da minissérie brasileira de Street Fighter Zero 3

Com desenhos da grande ilustradora Érica Awano (Holy Avenger) e roteiro de Marcelo Cassaro (Street Fighter – Série II, Ed. 4 e 5), a minissérie brasileira de Street Fighter Zero 3 conta uma história envolvendo não só personagens da franquia Street Fighter, mas também de Final Fight já que as duas tem uma ligação muito forte.

Além de manter uma grande fidelidade à história criada pela Capcom, a HQ tem momentos épicos da franquia, como a luta entre Sagat contra Ryu que acaba dando origem à sua cicatriz, e alguns paralelos como o momento em que Guy e Cody vão atrás da Mad Gear para salvar Jessica.

Cody Haggar minissérie brasileira de Street Fighter Zero 3

Com um time já experiente em HQs, a minissérie brasileira de Street Fighter Zero 3 não decepciona. Além de um ritmo bem agradável, característico das séries nacionais da Editora Escala, ela tem artes muito bonitas em estilo mangá com cores vivas e vibrantes. Inclusive, todas as edições são totalmente coloridas.

Ela também tem algumas histórias secundárias com a arte mais cômica de Wagner Fukuhara. Na primeira edição, Rose compara cada lutador de Street Fighter com uma carta de Tarô. Na segunda há uma história chamada “Trio Terrível” protagonizada por Dan, Sakura e Blanka. Nesta história os três guerreiros atrapalhados resolvem invadir uma base da Shadaloo.

Rose

Na história secundária da HQ nº3 temos uma espécie de ponte para alguns acontecimentos, pois no fim da edição aparecem vários personagens na floresta para salvar Chun Li e enfrentar Bison. Nesta história intitulada “Incidente Internacional”, vemos Ken informando que Karin está reunindo lutadores para invadir a base da Shadaloo na floresta Amazônica.

Já a história secundária da quarta e última HQ mostra Guile e o Capitão Ninja (personagem criado por Marcelo Cassaro) tendo uma conversa de bar. No final a dupla é surpreendida por Ken e Ryu procurando adversários para treinar.

Apesar de não ser mais publicada, você ainda encontra algumas edições da HQ em ótimo estado em sebos ou até mesmo no Mercado Livre.

Algumas curiosidades sobre a minissérie brasileira de Street Fighter Zero 3

Logo no início da primeira edição, quando Birdie perde uma luta para Guy, ele diz: “OOONF! No ‘Street Fighter I’ não tinha disso!”. Tal frase se refere ao fato de Birdie ter aparecido no primeiro game da série Street Fighter e Guy não.

Ainda no início da primeira edição, após derrotar Birdie, Guy recebe uma ligação do prefeito Haggar na qual eles falam sobre quando lutaram juntos. Ele diz: “O pessoal ainda comenta pelas ruas! Chamam de Final Fight!”. Guy se refere aos games “Final Fight Guy” e “Final Fight 3″, ambos para Super Nintendo, nos quais Guy e Haggar são personagens selecionáveis.

Na primeira edição é contado que Ryu é filho de um negociante Alemão com uma Japonesa.

Quando Ryu e Ken estão treinando, é mencionado que, de todos os pupilos de Gouken, nenhum domina tão bem a técnica do golpe “Shoryuken” como Ken.

Após encerrarem o treinamento, Ken se despede de Ryu e fala uma frase que ficou marcada no personagem aqui no Brasil, devido a dublagem Brasileira do desenho “Street Fighter II Victory”. A frase é: “Ih, ó o cara!”

minissérie brasileira de Street Fighter Zero 3

Ken e seu bordão da dublagem brasileira de Street Fighter Victory

Na HQ, Guile chama Nash de Charlie e em determinado momento o personagem reclama e diz que seu nome é Nash. Essa é uma brincadeira com o nome do personagem que na versão Japonesa é Nash e na americana Charlie. Em um momento ele diz: “Por que fica me chamando de Charlie? Nem estive no Vietnã!”

Na edição número 2, Dan conversa com Blanka e fala sobre o gibi do Capitão Ninja, herói nacional.

Na história secundária “Trio Terrível” alguns soldados da Shadaloo comentam sobre “Darkstalkers”, outro jogo de luta da Capcom.

Nesta mesma história secundária aparece o personagem Balrog (boxeador) que fala após atacar Dan: “Agora vai dormir, antes que eu resolva morder sua orelha”. A frase é uma referência à quando o boxeador Mike Tyson mordeu a orelha de Evander Holyfield em uma luta. Inclusive, a HQ é recheada de referências à cultura pop.

minissérie brasileira Street Fighter Zero 3

Na terceira HQ é contado que, quando Dhalsim ainda era garoto, teve seus pais mortos por uma bomba lançada por terroristas. Mais tarde ele foi encontrado por um monge Budista e cresceu aprendendo ensinamentos de meditação e Yoga.

Também é contado nesta edição que Akuma é irmão de Gouken (mestre de Ryu e Ken), mas ele matou seu próprio irmão e em seguida foi matar Gen, seu mestre.

Quando Nash encontra Bison pela primeira vez, ele comenta que a voz do vilão é tão rouca e firme que parece que ele foi dublado por Sean Connery, o ator que fez o personagem 007 nos cinemas em 60.

Em alguns momentos da HQ são mencionadas frases do livro “A arte da guerra”, de Sun Tzu.

Ficha Técnica

Street Fighter Zero 3 foi uma minissérie de 4 edições publicada pela Trama Editora em 1998.

Roteiro: Marcelo Cassaro

Desenhos: Erica Awano

Cores: Wagner Fukuhara

, , , ,

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 741 outros assinantes

Parceiros

GeraLinks - Agregador de links